Maio em Filmes

Maio não foi muito preenchido no que toca à Sétima Arte mas do mesmo resultou três grandes surpresas. Mary and Max tornou-se aos meus olhos numa pérola da animação, com um argumento bastante envolvente. Cannibal Holocaust apelou a todos os meus sentidos e fez-me divagar ainda mais pela hipocrisia do ser humano. Quanto ao referido filme, podem ler a minha opinião aqui. Mas foi no último dia do mês, quando pensava já não poder acrescentar nada de grande valor a esta lista, que vi o documentário que me fascinou por completo. Refiro-me portanto a Fahrenheit 9/11 e sobre o mesmo conjuguei estas palavras.

Filme do mês: Fahrenheit 9/11 (2004), de Michael Moore - 10

Outros filmes visualizados:

Mary and Max (2009), de Adam Elliot - 9/10
Bowling for Columbine (2002), de Michael Moore - 8/10
Waltz with Bashir (2008), de Ari Folman - 8/10
The Texas Chainsaw Massacre (1974), de Tobe Hooper - 7/10
The Hills Have Eyes (1977), de Wes Craven - 7/10
Horton Hears a Who (2008), de Jimmy Hayward; Steve Martino - 7/10
The Night Porter (1974), de Liliana Cavani - 7/10 (crítica aqui)
Gummo (1997), de Harmony Korine - 6/10
Tiny Furniture (2010), de Lena Dunham - 6/10
Cannibal Holocaust (1980), de Ruggero Deodato - 4/10
Reeker (2005), de Dave Payne - 2/10

Curtas:

Verj (1994), de Artavazd Peleshian - 8/10
Kyanq (1993), de Artavazd Peleshian - 8/10
Detail (2004), de Avi Mograbi - 7/10

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Crítica: Holocausto Canibal (1980)

A arte de comer esparguete

Ecrã de Haneke