Lista: Espaços de Cinema

Sou um confesso obcecado no que toca a listas, tops e afins. É com entusiasmo que perco grande parte do meu tempo a tentar reunir filmes perante um determinado tema, seja para os glorificar ou diminuir, ou simplesmente para os destacar. Surgiu-me a ideia de Espaços de Cinema, uma lista que pretende destacar filmes que de uma forma ou outra atribuem uma determinada importância a uma sala de cinema. Seja pelo decorrer da acção se passar nessa mesma sala de cinema ou se o mesmo espaço tem apenas importância numa determinada sequência. Espaços de cinema que tomam um papel importante no decorrer da história, numa reunião de assentos que proporcionam o deslumbramento de um espectador perante o filme. Os locais que nos mostram cinema num tempo e num espaço diegéticos. Salas que homenageiam a sétima arte e que se perdem no tempo. 
Para esta lista apenas incluí filmes que posso afirmar ter visualizado, mas mesmo dentro desse leque é normal terem-me passado muitos ao lado. Aceitam-se sugestões. Segue-se a reunião de filmes, unicamente por ordem cronológica:

Chronique d'un été (1961), Edgar Mourin, Jean Rouch
Dèmoni (1985), Lamberto Bava
Nuovo Cinema Paradiso (1988), Giuseppe Tornatore
Bu san (2003), Tsai Ming-liang
Chacun son cinéma (2007), 
Ken Loach, David Lynch, Manoel de Oliveira, Takeshi Kitano, Theodoros Angelopoulos, etc.
Serbis (2008), Brillante Mendoza
Shirin (2008), Abbas Kiarostami
Inglourious Basterds (2009), Quentin Tarantino

Comentários

  1. Também adoro listas. Assim de repente "The Purple Rose of Cairo, de 1985 de Woody Allen. Se me lembrar de mais algum, volto cá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que nunca vi o filme na íntegra, apenas algumas partes mínimas que apanhava na tv de vez em quando. Mas obrigado pela sugestão.

      Cumprimentos,
      Rafael Santos

      Eliminar
  2. As listas são um dos meus prazeres/vícios de cinéfilo (no fundo, acho que de todos nós que gostamos de Cinema). Conheço poucos destes filmes (mas para mim um dos atractivos das listas dos outros é que posso sempre descobrir novos filmes), mas os que conheço são deliciosos, a começar pelo Chacun Son Cinéma, uma das mais belas homenagens a essa coisa chamada Cinema. Dos que conheço, e admito que o tema não é dos que tenha pensado muito, recordo-me de um excelente filme de Peter Bogdanovich: A Última Sessão.

    Cumprimentos,
    PMF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais outro que ainda não tive oportunidade de visualizar, mas está para breve. Obrigado pela sugestão, pelo título e pela sinopse parece adequar-se na perfeição. O Chacun Son Cinéma é de facto uma bela homenagem e o que me chamou mais a atenção foi a possibilidade de poder conhecer uma grande variedade de realizadores de uma só vez. Em muitas das curtas consegui identificar claramente a que realizador pertenciam, através do estilo visual tão próprio ou através da forma de contar a pequena história.

      Cumprimentos,
      Rafael Santos
      Memento mori

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Crítica: Holocausto Canibal (1980)

A arte de comer esparguete

Ecrã de Haneke