Porque os trailers também merecem (X)

Por vezes podem revelar demasiado e estragar qualquer surpresa que pudesse advir da visualização do filme. Podem ser manipulados de forma a dar entender outro propósito sobre o filme. Podem chamar um espectador ou de certa forma repeli-lo. Mas é inegável que um trailer é um pedaço de montagem importante na consciencialização da população para um determinado filme. 
O caso que aqui resolvi destacar trata-se de um projecto elaborado pelas mãos de Joana Rodrigues. Da sua mente nasce Trailers de Não-Filmes, um projecto que agrega três curtas que transmitem um certo senso de originalidade. Tive a oportunidade de ver a primeira curta-metragem intitulada Natureza Morta no âmbito do Indie Lisboa e foi uma agradável entrada para a longa-metragem que me fizera deslocar até à cinemateca. 
Um projecto que surge a partir de um financiamento nacional deficiente. Ideias que se sentem na realizadora como urgentes de serem libertas e este projecto acaba por ser o meio a usar. Sem dinheiro a usar numa longa-metragem usa as suas ambições numa forma possível e um tanto ou quanto excêntrica, de forma a criticar o financiamento que não consegue obter para conseguir produzir a longa-metragem que tanto deseja. Trailers que remetem o espectador para uma possibilidade que é na realidade uma impossibilidade. Um filme que nunca verá a luz do dia, que apenas tem o seu devido trailer feito unicamente com o propósito de ser esse produto de 3 minutos com uma lógica impregnada. 

"Os "Trailers de Não-Filmes" representam sobretudo a liberdade de expressão não limitada por obstáculos de índole prática: o formato permite exactamente a produção em pequena escala de cenas que apenas são registadas no seu potencial de longa-metragem. No entanto, as ideias em forma de trailer acabam por se processar de maneira independente, movidas por uma dinâmica interna muito peculiar: são simultaneamente ideias abertas e fechadas numa lógica sugerida pelo próprio formato, sendo não-filmes apenas no que essa nomenclatura tem de expansivo." - Joana Rodrigues
Brevemente (In)disponível num cinema perto de si... 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Crítica: Holocausto Canibal (1980)

TCN 2014: Nomeações

A ventoinha de Laura Palmer