A morte iminente

[Spoilers] Wild Strawberries (1957) compreende uma das sequências mais belas da história do cinema. De acordo com Ingmar Bergman, este inspirou-se um pouco noutra obra de seu nome The Phantom Carriage (1921), curiosamente realizada por Victor Sjöström, o protagonista do filme aqui destacado. A cena referida destaca um dos sonhos tidos pelo protagonista naquilo que pensa ser o período terminal da sua vida. E este sonho reflecte muitos dos seu medos e funciona como um meio de antecipação da morte iminente que o parece chamar. 
Sente-se perdido numa existência com muitas vias possíveis a tomar. O tempo é agora escasso e acaba por se tornar uma nulidade, tal como se observa no relógio sem ponteiros, o mesmo que me traz o senhor Dalí à memória. 
Uma sequência com uma mise-en-scène e fotografia brilhantes. 

Comentários

  1. Olá Rafael, já tinha lido este teu texto, mas só agora o comento, pois quis ver o filme primeiro. É de facto uma cena bem especial. Destaco ainda a solidão que se sente naquelas ruas vazias. Não conheço o filme que mencionas de Victor Sjöström, mas Ingmar Bergman era fã dele, por isso faz sentido. Outro filme que esta cena me traz à memória é "Entr'acte" com toda aquela sequência final do carro funerário que arranca sozinho, caixão que cai por terra, e pessoa que sai lá de dentro para fazer todos desaparecer com uma varinha mágica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho mesmo que colmatar essa falha e ver o "Entr'acte", pois tenho mesmo curiosidade. Ainda por cima é tão curto, não tenho desculpa :P

      Cumprimentos,
      Rafael Santos
      Memento mori

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Crítica: Holocausto Canibal (1980)

Ecrã de Haneke

A arte de comer esparguete