O duelo

Quão bom é fazer zapping por entre uma limitada escolha de quatro canais nacionais e deparar-me com este final que tanto adoro? Já me tinha esquecido que iria passar o Il Buono, il brutto, il cattivo (1966) na RTP2 mas o que é certo é que mudei precisamente no momento certo, podendo assim rever estes 20 minutos finais. E meus amigos, o quão monumental é esta longa sequência. E que dizer daquela troca de olhares alimentada pela banda-sonora do Ennio Morricone? Simplesmente genial. Assim se constrói a tensão.
Diga-se de passagem que os mortos aqui não têm qualquer descanso...

Comentários

  1. Sem dúvida, uma cena a todos os níveis magistral. E dizer algo soará sempre a pouco, é ver para crer. Há tempos também escrevi sobre esta cena: http://caminholargo.blogspot.pt/2012/12/cenas-1.html

    Cumprimentos,
    Jorge Teixeira
    Caminho Largo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por esse mesmo motivo é que poupei nas palavras eheh Já fui conferir a tua opinião :) Obrigado pelo comentário.

      Cumprimentos,
      Rafael Santos
      Memento mori

      Eliminar
  2. Fabulosa mesmo. Mas continuo a preferir a magistral sequência inicial de «Aconteceu no Oeste».

    Cumprimentos,

    PMF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lamentavelmente ainda não vi o "Aconteceu no Oeste". Já sei já sei, o melhor é ir ali bater com a cabeça na parede. Mas está para breve a visualização :P

      Cumprimentos,
      Rafael Santos

      Eliminar
  3. também apanhei no zapping este filme nesse dia e sou capaz de revê-lo este fim de semana, uma vez que já o vi há bastante tempo.
    mas meu caro, se esta cena é magistral (que é), tens de ver o Aconteceu no Oeste e a primeira cena do filme...:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem agora que já são duas pessoas a referir essa cena inicial, ainda fico mais curioso :) Agora fiquei com vontade de o ver, próxima semana ataco o filme!

      Eliminar
  4. Tenho uma lembrança que se tornou inesquecível em relação a essa cena. No Rock in Rio de 2011 a banda Metallica, como já é de costume, abriu o show com a canção The Ecstasy of Gold do Morricone, no telão surgiu a cena de Tuco correndo por entre os túmulos, me arrepio só de lembrar, cena brilhante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do que me foste lembrar, Emerson! :D Também testemunhei esse momento no Rock in Rio de 2012. Foi deveras brilhante :)

      Cumprimentos!

      Eliminar
  5. E vão três a aconselhar essa monumentalidade que é o Once Upon a Time in the West, que por acaso considero superior (mas é discutível) a este Bom, Mau e Vilão. Depois quando o vires passa por aqui, teria muito gosto: http://caminholargo.blogspot.pt/2012/10/cera-una-volta-il-west-1968.html

    Cumprimentos,
    Jorge Teixeira
    Caminho Largo

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Crítica: Holocausto Canibal (1980)

A arte de comer esparguete

Ecrã de Haneke