1 corvo, 2 corvos, 3 corvos...

Hoje lembrei-me de um dos meus filmes preferidos, o que me levou a rever na minha memória a minha cena preferida do mesmo. Tudo é perfeitamente cuidado nesta sequência. A cantiga levada a cabo pelas crianças serve como a banda-sonora que parece não terminar. A mesma atribui um ritmo bastante próprio e de certa forma inquietante. A personagem de Tippi Hedren fuma o seu cigarro enquanto os corvos pousam um a um atrás de si. A alternância entre os planos nunca revela demasiado do que se passa e contribui para a tensão gradualmente crescente. Um único corvo serve para desviar o olhar da protagonista. Nesse olhar sentimos o seu terror e sustemos a respiração com ela. E depois o grande momento. Nunca um conjunto de pássaros se tornou tão aterrador como nesta pequena cena. Esta é apenas uma das cenas que eleva The Birds (1963) a um patamar de excelência. Mais uma vez se comprova o título de mestre do suspense.  

Comentários

Mensagens populares deste blogue

The Great Buddha+, o umbigo e o capachinho

A arte de comer esparguete

Ecrã de Haneke