Divergências

[Spoilers] Ele vive no chão, a reconhecida normalidade por entre todos nós. Ela deambula pelo tecto. Ou será o oposto? Depende do prisma através do qual espreitamos a situação. Esta pequena pérola em stop motion data de 2012 e é escrita e realizada por Timothy Reckart. 
Após tantos anos de casamento, um casal distancia-se de tal forma que nem mesmo a gravidade os consegue reunir. Cada um deles acredita estar a pisar o chão que deve ser pisado. Vivem a vida separadamente, sem trocarem uma palavra que seja e absortos na sua própria existência. Tornaram-se estranhos, saturados num casamento que acaba por se tornar uma prisão. O silêncio reina entre eles, esgotado em palavras trocadas ao longo dos anos. Quando há uma tentativa de aproximação por parte do homem, as noções que ambos tomam como indiscutíveis acabam por sair tremidas. A certa altura, o que está em causa não é mais a necessidade de estarem certos mas sim a tentativa de aprenderem a viver um com o outro perante uma divergência tão fulcral como aquela. 
Um argumento bastante simbólico que nos demonstra que se consegue criar belos exemplos da humanidade em algo tão manuseado como a animação. Head Over Heels encontra-se na corrida para o Óscar de melhor curta de animação e é, na minha visão, o melhor dos cinco nomeados, sendo todos estes pequenos grandes filmes.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Crítica: Holocausto Canibal (1980)

Ecrã de Haneke

A arte de comer esparguete