PES e os objectos do quotidiano

Não, não estou a conspurcar o meu espaço dedicado ao cinema com menções ao Pro Evolution Soccer ou algo derivado do futebol. Refiro-me a um realizador que escolheu o nome de PES para se afirmar no mundo. Confesso que desconhecia por completo a sua existência. Portanto, a nomeação para os Óscares da Academia foi uma boa notícia até para mim, pois apresentou-me a estas pequenas pérolas no mundo da animação. A forma como empreende os vários objectos do dia-a-dia é de uma elevada originalidade. O seu uso do stop-motion torna-se assim bastante singular e reconhecível como a sua marca de autor. Este ano conseguiu uma nomeação pela sua curta-metragem Fresh Guacamole (2012), tornando-se este o filme mais curto alguma vez nomeado para um Óscar. Segue-se a pequena curta na íntegra:
Este é apenas um exemplo da sua original carreira. O próximo intitula-se The Deep (2010) e consegue criar um ambiente um tanto ou quanto arrepiante numa duração tão curta. Os objectos que adquirem uma vida totalmente diferente e uma música que parece proveniente das próprias profundezas do oceano, fazem desta pequena curta uma das minhas preferidas. 
Este que se segue consegue recriar fielmente a magia que estes jogos suscitavam. Chama-se Game Over (2006) e aqui fica na íntegra: 
O seu trabalho não se limita apenas a animação em curta duração. É frequentemente requisitado para fazer anúncios comerciais. Para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho podem consultar o seu espaço oficial: http://eatpes.com/index.html

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Crítica: Holocausto Canibal (1980)

Ecrã de Haneke

A arte de comer esparguete